Influência das retrações das cadeias musculares nas lesões karatê

Eliane Gouveia de Morais Sanchez, Miriã Silva Santos Barros, Hugo Machado Sanchez

Resumo


O Karatê é um esporte que apresenta grandes de- safios em sua execução, movimentos coordenados e bruscos. O objetivo do presente estudo foi correla- cionar as retrações das cadeias musculares, anterior e posterior, com as lesões causadas pelo karatê. A amostragem foi composta de 29 voluntários (16 mu- lheres e 13 homens), praticantes de Karatê na faixa etária compreendida entre 14 a 30 anos. Utilizou-se manobras para detectar o encurtamento da cadeia anterior e posterior e para detectar as mudanças nos posicionamentos angulares, empregou-se o goniô- metro e a fita métrica. Através da análise estatísti- ca, verificou-se que o grupo com lesão apresentou menor mobilidade de quadril com maior retração na cadeia anterior, além disso, ao analisar de ambos os grupos foi detectado que eles apresentaram com- pensações musculares semelhantes em ambas as analises, ou seja, o corpo humano atua distribuindo as tensões musculares entre os segmentos corpo- rais. A partir dos dados verifica-se que os praticantes apresentam desequilíbrios musculares, havendo as- sociação da retração da cadeia posterior e anterior com as lesões nos praticantes de Karatê. 


Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, A. P. Agressões posturais e qualidade de vida na construção civil: um estudo multi-casos. 1996. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis/Santa Catarina.

ALVES, L. S. Análise Postural da Equipe em Atletas de Judô da Equipe UNISUL. Tubarão: Universida- de do Sul de Santa Catarina; 2005.

ARAÚJO, J.D., SILVA, R.R., CARNEVALI JUNIOR, L.C., PAULA LIMA, W. A influência do fortalecimen- to e alongamento muscular no desequilíbrio entre músculos flexores e extensores do joelho em atletas de futebol de campo. Brazilian Journal of Biomotricity, v. 3, n. 4, p. 339-350, 2009.

BACK CM, Fisioterapia na escola: avaliação postural. Universidade do Sul de Santa Catarina; 2006.

BERTOMCELLO, D.; SÁ, C.S.C.; CALAPODÓPOLUS, A.H.; LEMOS, V.L. Equilíbrio e retração mus- cular em jovens usuárias de calçado de salto alto. Rev Fisioterapia e Pesquisa. v.3, n.2, p. 107-12, 2009.

BRACCIALLI, L.M.P.; VILARTA, R. Aspectos a serem considerados na elaboração de programas de prevenção e orientação de problemas posturais. São Paulo. v. 14, n.1, p.16-28, jan./jun. 2000.

CHRISTENSEN, K. Manual Muscule Testin and Postural Imbalance. Dynamic Chiropratic. v.18, n. 24, s/p, 2000.

DENYS-STRUYF, G. Cadeias musculares e articulares: o método G.D.S. São Paulo: Summus, 1995. DRZAŁ-GRABIEC, J; TRUSZCZYŃSKA, A. Evaluation of selected postural parameters in children whopractice kyokushin karate. Biomedical Human Kinetics. v. 6, n. 1, p. 69-73, 2014.

FARINA ECR, CURTIPASSI, JW, TRIBESS D, ROMÃO J. Alterações posturais em atletas de marcha atlética de alto rendimento. Revista da Unifebe. v. 1, n.9, p. 15-21, 2011.

FEDERAÇÃO PAULISTA DE KARATÊ-DO TRADICIONAL. Disponível em: . Acesso em 25 abr. 2014.

GONÇALVES, J. Lesão no Futebol. Os desequilíbrios musculares no aparecimento de lesões. Disser- tação de mestrado em ciência do desporto. FCDEF-UP 2000.

HASSEL, R.G. Conversations with the master: Masatoshi Nakayama. St. Louis: Palmerston & Reed Publishing Company. 1983.

KENDALL, H.O.; KENDALL, F.P.; WADSMORTH, G.E. Músculos: provas e funções. São Paulo: Ma- nole, 1995.

LIEBENSON, C; LARDNER, R. Identification and Treatment of Muscular Chains. Dynamic Chiropratic. v.17, n. 18. p. 34-39, 1999.

MARQUES, A.P. Cadeias musculares: um programa para ensinar avaliação fisioterapêutica global. São Paulo, Manole. 2005.

MARTINS, A. C. V.; COAN, M. V. Análise da postura de atletas praticantes de artes marciais. Anais da 57a Reunião Anual da SBPC - Fortaleza, CE – Julho, s/p, 2005.

MASSADA, L. Lesões Típicas do desportista. Editorial Caminho, S.A. Lisboa; 2000.

NAKAYAMA, M. O melhor do Karatê. v.5. São Paulo: Ed. Cultrix. 1996.

NETO JÚNIOR, J.; PASTRE, C.M.; MONTERIO, H.L. Alterações posturais em atletas brasileiros do sexo masculino que participaram de provas de potência muscular em competições internacionais. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Niterói. v.10, n.3, p.195-198, maio/jun, 2004.

PINHO, R. A.; DUARTE, M. F. S. Análise Postural em escolares de Florianópolis – SC. Revista Brasi- leira de Atividade Física e Saúde. v.1, n.2, p. 49-58, 1995.

SIGNORETI, M; PAROLINA, C. E. Análise postural em capoeiristas da cidade de São Paulo. Aspectos fisiológicos e biomecânicos. Revista da Faculdade de Ciências da Saúde. Porto: Edições Universidade Fernando Pessoa. v.6, p. 462-470, 2009.

SILVA, R. P. Estudo das alterações posturais em indivíduos portadores de Síndrome da Dor Patelo-fe- moral. Reabilitar. v. 15, p.6-19, 2002.

SOARES, J. O treino futebolista. Lesões e nutrição. Volume 2. Porto Editora. 2000.

STOKES, M. Neurologia Para Fisioterapeutas. São Paulo: Editora Premier, 2000.

VANDO, S.; FILINGERI, D; MAURINO, L; CHAABÈNE,H; BIANCO, A., SALERNITANO, G.; FOTI, C.; PADULO, J. Postural Adaptations in Preadolescent Karate Athletes Due to a One Week Karate Training Camp. J Hum Kinet. v. 38, p. 45–52, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.